A LIDERANÇA COMO COMPONENTE ESTRATÉGICO NA CONSTRUÇÃO DE VANTAGEM COMPETITIVA E NOVOS CONHECIMENTOS
PDF

Palavras-chave

liderança
estratégia
cultura organizacional
conhecimento
leadership
strategy
organizational culture
knowledge

Como Citar

Morelato, E. V., & Cazane, A. L. (2017). A LIDERANÇA COMO COMPONENTE ESTRATÉGICO NA CONSTRUÇÃO DE VANTAGEM COMPETITIVA E NOVOS CONHECIMENTOS. Revista Inteligência Competitiva, 7(3), 1–22. https://doi.org/10.24883/IberoamericanIC.v7i3.263

Resumo

De acordo com Thomas e Inkson (2006), diversos autores definem liderança como a habilidade de influenciar pessoas O objetivo deste trabalho é estudar, explicar e apresentar como os líderes podem agir, ressaltando os impactos que a liderança gera sobre a construção de vantagem competitiva e de novos conhecimentos dentro das organizações. Os principais resultados indicaram que a liderança estratégica, em conjunto com a cultura organizacional, é essencial para construção de vantagem competitiva por meio de novos conhecimentos.

ABSTRACT

LEADERSHIP AS A STRATEGIC COMPONENT IN CONSTRUCTION OF COMPETITIVE ADVANTAGE AND NEW KNOWLEDGE

According to Thomas and Inkson (2006), several authors define leadership as the ability to influence people. The objective of this paper is to study, explain and present how leaders can act, highlighting the impacts that leadership generates on the construction of competitive advantage and of new knowledge within organizations. The main results indicated that strategic leadership, together with organizational culture, is essential for building competitive advantage through new knowledge.

 

 

https://doi.org/10.24883/IberoamericanIC.v7i3.263
PDF

Referências

ADMINISTRADORES.COM. Conheça os 10 perfis de liderança mais comuns. Disponível em: <http://www.administradores.com.br/noticias/carreira/conheca-os-10-perfis-de-lideranca-mais-comuns/36401/>.

ALBUQUERQUE, J. Líder com Mente de Mestre. Rio de Janeiro, RJ, Napoleon Hill, 2010.

BARRETO, Leilianne Michelle Trindade da Silva et al. Cultura organizacional e liderança: uma relação possível? Rev. Adm. (São Paulo), São Paulo, v. 48, n. 1, p. 34-52, mar. 2013.

BERGAMINI, C. Liderança: a administração do sentido. Revista de Administração de Empresas - RAE, São Paulo, v. 34, n.3, p. 102-114, maio/ jun. 1994.

BORNSTEIN, Steven M.; SMITH, Anthony F. Os enigmas da liderança. In: DRUCKER, Peter F. O líder do futuro: visões, estratégias e práticas para uma nova visão. São Paulo: Futura, 1996.

CHARAN, R.; ROTTER, S.; NOESL, J. Pipeline de liderança, 2009.

CRUZ, ANA PAULA CAPUANO DA. Disponível em: http://www.anpad.org.br/rac RAC, Rio de Janeiro, v. 19, n. 6, p. 772-794, nov./dez. 2015.

BRYMAN, A. Leadership in organizations. In: CLEGG, S.; HARDY, C.; NORD, W. (Ed.). Handbook of organization studies. London: Sage, 1996.

CHIAVENATO, Idalberto. Gerenciando com Pessoas: Transformando o executivo em um excelente gestor de pessoas. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

COVEY, Stephen R. Liderança baseada em princípios. Rio de Janeiro: Campus, 2002.

DAVENPORT, T. H; PRUSAK, L. Conhecimento empresarial: como as organizações gerenciam seu capital intelectual. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

DILENSCHNEIDER, Robert L. Poder e influência. Rio de Janeiro: Record, 1994.

DRUCKER, Peter. Tradução de William Heinemann. O Gerente Eficaz. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos Editora, 1967.

DUTTA, S. Strategies for implementing knowledge-based systems. IEEE Transactions on Engineering Management, v. 44, n. 1, p. 79-90, Feb. 1997.

GARVIN, D. A. Building a learning organization. Harvard Business Review, v. 71, n. 4, p. 78-91, July/Aug. 1993.

MAXWELL, Você nasceu para liderar. Trad. de Lena Aranha THOMAS NELSON BRASIL Rio de Janeiro 2008.

JOICE SCHLEY Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO), Guarapuava, PR, Brasil.

JORGE, C. F. B. Gestão da informação esportiva no contexto da inteligência competitiva em clubes de futebol: um estudo de caso no Marília Atlético Clube. 2013. 322-f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, 2013.

MARSHALL, L. Facilitating knowledge management and knowledge sharing: new opportunities for information professionals. v. 21, n. 5, p. 92-98, Sept./Oct. 1997.

MAXIMIANO, Antônio C. A. Teoria geral da administração: da revolução urbana à revolução digital. 6 Ed. São Paulo: Atlas, 2007.

MAXWELL, John C., As 21 irrefutáveis leis da liderança: siga-as e as pessoas os seguirão. Rio de Janeiro: Thomas Nelson Brasil, 2007.

NETPROFIT. Conheça 8 tipos de liderança e as vantagens de cada uma delas. Disponível em: http://blog.netprofit.com.br/conheca-8-tipos-de-lideranca-e-as-vantagens-de-cada-uma-delas-2/

NONAKA, I; TAKEUCHI, H. Criação de conhecimento na empresa. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

OGBONNA, E.; HARRIS, L. Leadership style, organizational culture and performance: empirical evidence from UK companies. The International Journal of Human Resource Management, London, v. 11, n. 4, p.766-788, Aug. 2000.

POSNER, BARRY Z.; KOUZES, JAMES M. O Desafio da Liderança - como aperfeiçoar sua capacidade de liderar. São Paulo: Editora Campus, 2013.

REGO, A. Liderança nas Organizações - Teoria e Prática. Aveiro: Universidade de Aveiro, 1998.

ROBBINS, S. Comportamento Organizacional. São Paulo: Prentice Hall, 2002.

RODRIGUES, P. J. F; RIBEIRO, R. B. O papel da comunicação não verbal na liderança - Bases para um modelo prático. Dissertação, 2014 - Universidade de Lisboa.

ROWE, W.G. Liderança estratégica e criação de valor. RAE - Revista de Administração de Empresas, v. 42, n. 1, jan./mar. 2002.

SILVA, S.L. Gestão do conhecimento: uma revisão crítica orientada pela abordagem da criação do conhecimento. Ci. Inf., Brasília, v. 33, n. 2, p. 143-151, maio/ago. 2004.

SCHEIN, E. Organizational culture and leadership. San Francisco: Jossey-Bass, 1992.

SCHULZ, J.W. Tapping the best that is within: why corporate culture matters. Management Quarterly, Washington, v. 42, n. 1, p. 29-35, Spring 2001.

TUOMI, I. Data is more than knowledge: implications of the reversed knowledge hierarchy for knowledge management and organization memory. Journal of Management Information Systems, v. 16, n. 3, p. 103-117, Winter 1999.

THOMAS, David Clinton; INKSON, Kerr. Inteligência Cultural: habilidades pessoais para negócios globalizados. Rio de Janeiro: Record, 2006.

VALENTIM, M. L. P.; GELINSKI, J. V. V. Gestão do conhecimento corporativo. In:

VALENTIM, M. L. P. (Org.). Informação, conhecimento e inteligência organizacional. 2.ed. Marília: FUNDEPE Editora, 2007.

YULK, G.; LEPSINGER, R. Why integrating the leading and managing roles is essential for organizational effectiveness. Organizational Dynamics, 34, n. 4, p. 361-375. doi: 10.1016/j.orgdyn.2005.08.004 (2005).

O(s) autor(es) autoriza(m) a publicação do texto na da revista;

O(s) autor(es) garantem que a contribuição é original e inédita e que não está em processo de avaliação em outra(s) revista(s);

A revista não se responsabiliza pelas opiniões, idéias e conceitos emitidos nos textos, por serem de inteira responsabilidade de seu(s) autor(es);

É reservado aos editores o direito de proceder a ajustes textuais e de adequação às normas da publicação.

Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.

Esta licença permite que outros remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho para fins não comerciais, e embora os novos trabalhos tenham de lhe atribuir o devido crédito e não possam ser usados para fins comerciais, os usuários não têm de licenciar esses trabalhos derivados sob os mesmos termos.

Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.

Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (Veja O Efeito do Acesso Livre) emhttp://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html

Downloads

Não há dados estatísticos.