Planejamento Estratégico Na Gestão De Pessoas: Um Estudo de Caso
PDF

Palavras-chave

Estratégia
Metodologia
Benefícios
Competitivo
Objetivo.

Como Citar

Ferigato, E., & Rosini, A. M. (2021). Planejamento Estratégico Na Gestão De Pessoas: Um Estudo de Caso. Revista Inteligência Competitiva, 11, e0384. https://doi.org/10.24883/IberoamericanIC.v11i.384

Resumo

Este estudo buscou verificar as diferentes ferramentas colocadas à disposição do gestor para a gestão de pessoas, utilizando inclusive casos práticos. Procura-se demonstrar como um planejamento estratégico pode mudar toda a capacidade produtiva de uma empresa e seus resultados, atingindo metas e se posicionando no mercado. A gestão de pessoas é essencial na condução de um projeto, pois trabalha com intuito de cumprimento dos prazos mantendo a viabilidade financeira. O método de procedimento da pesquisa foi inicialmente uma pesquisa bibliográfica, realizada através da leitura de artigos científicos e livros relevantes ao caso proporcionando um auxílio na investigação, contando também com a leitura de documentos disponibilizados pela empresa estudada (Marconi; Lakatos, 2017). Em seguida foi realizado um estudo de caso, pois esse método possibilita a análise do evento e suas questões na realidade de uma empresa, quando os limites entre o evento e o âmbito organizacional não estão evidentes (Yin, 2001) visando analisar e mostrar a importância do planejamento estratégico como ferramenta na gestão de projetos e suas influências sobre o impacto econômico dentro da organização. Constatou-se que a gestão de pessoas mostra-se como o mecanismo técnico capaz de direcionar essas políticas e estratégias para alcançar os objetivos do negócio, com diversas vantagens como a previsão de orçamento e a capacidade de ser aplicável em empreendimentos de diversas complexidades. Diversas ferramentas e sistemas de informação são colocados à disposição do gestor para mensurar e aplicar ações que visem nortear sua gestão estratégica, antevendo possíveis ameaças e oportunidades, direcionado suas ações adaptando-se ao mercado corporativo que está inserido.

https://doi.org/10.24883/IberoamericanIC.v11i.384
PDF

Referências

ASSAF NETO, Alexandre; LIMA, Fabiano Guasti. (2011). Curso de Administração financeira.2. ed. São Paulo: Atlas.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE RECURSOS HUMANOS. (2019). O Desafio da Gestão de equipe. Disponível em <http://www.abrhrs.com.br/destaques.atu?nome=o-desafio-da-gestao-de-equipes >. Acesso em 28/11/2019

BATEMAN, T. S.; SNELL, S. A. (2009). Administração: novo cenário competitivo. Tradução Bazán Tecnologia e Linguística Ltda. 2. ed. São Paulo: Atlas.

BICHO, Leandro; BAPTISTA, Susana. (2006). Trabalho Acadêmico: Modelo de Porter e Análise SWOT.

BILHAR, A. l. (2012). Análise De Viabilidade Econômica e Ambiental de um Projeto de Investimento em uma Indústria de Alimentos. Revista Destaques Acadêmicos, Vol. 5, N. 1, 2012 - Cgo/Univates.

BRANDÃO, Hugo Pena; BRUNO-FARIA, Maria de Fátima. (2003). Competências relevantes a profissionais da área de T&D de uma organização pública do Distrito Federal. Revista de Administração Contemporânea. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1415-65552003000300003&script=sci_arttext>. Acesso em 03/11/2019.

CAMARGO, Camila. (2007). Análise de investimentos e demonstrativos financeiros. Curitiba: IBPEX..

CERTO, S. C. (2003). Administração moderna. Tradução Maria Lúcia G. L. Rosa e Ludmilla Teixeira Lima. 9. ed. São Paulo: Prentice Hall.

CERTO, S. C.; PETER, J.P. (1993). Análise do Ambiente. In Administração estratégica: planejamento e implantação da estratégia. SP: MakronBooks, 1993. p.37-38.

CESAR, Julio. Sustentabilidade. Agosto, 2015. Disponível em <https://www.linkedin.com/pulse/sustentabilidade-julio-cesar>. Acesso em 15/11/2019

.

CHIAVENATO, I. (2004). Administração nos novos tempos. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier.

CONSENTINO, Danielli Venancio; et al. (2011). Planejamento Estratégico voltado para a Gestão e Desenvolvimento de uma Empresa. Centro Universitário Católicio Salesiano Auxilium. Lins-SP. Disponível em <http://www.unisalesiano.edu.br/biblioteca/monografias/54017.pdf>. Acesso em 17/11/2019.

DAYCHOUM, Merhi. (2005). Gerência de projetos: programa delegacia legal / MerhiDaychoum. Rio de Janeiro: Brasport.

EISENHARDT, K. M. (1989). Building Theories from Case Study Research. The Academy of Management Review, v. 14, n. 4, p. 532-550.

GIL, Antonio Carlos. (2007). Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas.

GEMPAR. (2010). Manual de Gerenciamento de Projetos. Ministério Público do Paraná. Disponível em <http://www.planejamento.mppr.mp.br/arquivos/File/subplan/gempar/manual.pdf>. Acesso em 22/11/2019.

GUMMESSON, E. (2007). Case study research and network theory: birds of a feather. Qualitative Research in Organizations and Management. An International Journal, v. 2, n. 3, p. 226-248.

IMHOFF, Márcia Moraes; MORTARI, Aline Perico. Terceirização, Vantagens e Desvantagens para as Empresas. 1º Simpósio de iniciação cientifica dos cursos de ciências contábeis de Santa Maria. Disponível em <http://tupi.fisica.ufmg.br/michel/docs/Artigos_e_textos/Gestao/terceirizacao_vantagens_desvantagens.pdf >. Acesso em 22/11/2019.

KEELLING, Ralph. (2002). Gestão de Projetos: uma abordagem global / Ralph Keelling; tradução Cid Knipel Moreira, revisão técnica Orlando Cattini Jr. São Paulo: Saraiva.

LLEWELLYN, S.; NORTHCOTT, D. (2007). The “singular view” in management case studies qualitative research in organizations and management. An International Journal, v. 2, n. 3, p. 194-207.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. (2009). Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisa, elaboração, análise e interpretação de dados. São Paulo: Atlas.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria (2017). Metodologia do trabalho científico. 8. Ed. São Paulo: Atlas.

MARTINS, Gilberto de A.; LINTZ, Alexandre. (2007). Guia de elaboração de monografias e trabalhos de conclusão de curso. 2. ed. São Paulo: Atlas.

MASCARENHAS, André Ofenhejm (2009). Gestão estratégica de pessoas. São Paulo: Cengage Learning.

MATHIAS, Washington Franco. (1986). Projetos: planejamento, elaboração, análise. São Paulo: Atlas.

MAXIMIANO, Antônio Cesar Amaru. (2002). Administração de Projetos: como transformar idéias em resultados. 2. ed. – São Paulo: Atlas.

MAXIMIANO, Antônio Cesar Amaru. (2009). Administração de Projetos: como transformar idéias em resultados. 3. ed. 2 reimpr. – São Paulo: Atlas.

MEGLIORINI, Evandir; VALLIM, Marco Aurélio. (2009). Administração financeira: uma abordagem brasileira. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

MENEZES, Luís César de Moura. (2003). Gestão de Projetos. 2. ed. São Paulo. Atlas.

OLIVEIRA, D. P. R. (2007). Planejamento estratégico: conceitos, metodologia e práticas. 23. ed. São Paulo: Atlas.

ORTH, Afonso Inácio. (2009). Planejamento e gerência de projetos / Afonso Inácio Orth, Rafael Prikladnicki. – Porto Alegre: EDIPUCRS.

ROCHA, Rafael. (2012). Papoepalpite’s Blog. Junho. Disponível em: <https://papoepalpite.wordpress.com/2012/06/17/cha-conhecimento-habilidade-e-atitude/>. Acesso em 26/11/2019.

SAMPAIO, C. H. (2004). Planejamento estratégico. 4. ed. Porto Alegre: Sebrae/RS.

SEVERINO, A. J. (2011). Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Cortez, 2010.

SOUTO, I. S. A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DE PROJETOS EM PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS: um estudo de caso na Eletro Pedro Ltda - Paracatu/MG. Paracatu: Faculdade Tecsoma. Disponível em <http://www.tecsoma.br/tcc_administracao/izanere.pdf>. Acesso em 26/11/2019

TAHATA, HerickKiyoshiOgata. (2010) A aplicação de Ferramentas de Planejamento Estratégico na Automação Industrial. Universidade de São Paulo. Escola de Engenharia de São Carlos. São Carlos. Disponível em <http://www.tcc.sc.usp.br/tce/disponiveis/18/180500/tce-23082010-110236/?&lang=br>. Acesso em 28/11/2019.

TOCHA, Ricardo. (2015). A importância dos benefícios na atração e retenção de talentos.Templum Consultoria. Junho. Disponível em:<http://certificacaoiso.com.br/a-importancia-dos-beneficios-na-atracao-e-retencao-de-talentos/>. Acesso em 28/11/2019.

TRENTIM, M. H.; et al. (2010). Planejamento Estratégico e Gestão de Projetos. IV Encontro de Engenharia de Produção Agroindustrial. Campo Mourão-PR. Disponível em <http://www.fecilcam.br/anais_iveepa/arquivos/5/5-12.pdf>. Acesso em 28/11/2019.

UM GUIA do Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK®). (2004). 3. ed. 2004 Project Management Institute, Four Campus Boulevard, Newtown Square, Pensilvânia, USA.

VARGAS, Ricardo Viana. (2005). Gerenciamento de projeto - Estabelecendo diferenciais competitivos / Ricardo Viana Vargas; prefácio de Reeve Haroldo R. - 6. ed. atual. – Rio de Janeiro – Brasport.

VARGAS, Ricardo Viana. (2007). Manual Prático do Plano de Projeto. 3. ed. Rio de Janeiro: Brasport.

VOSS, C.; TSIKRIKTSIS, N.; FROHLICH, M. (2002). Case research in operations management. International Journal Of Operations & Production Management, v. 22, n. 2, p. 195-219.

YIN. R. K. (2005). Estudo de caso: planejamento e métodos. 3 ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

O(s) autor(es) autoriza(m) a publicação do texto na da revista;

O(s) autor(es) garantem que a contribuição é original e inédita e que não está em processo de avaliação em outra(s) revista(s);

A revista não se responsabiliza pelas opiniões, idéias e conceitos emitidos nos textos, por serem de inteira responsabilidade de seu(s) autor(es);

É reservado aos editores o direito de proceder a ajustes textuais e de adequação às normas da publicação.

Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.

Esta licença permite que outros remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho para fins não comerciais, e embora os novos trabalhos tenham de lhe atribuir o devido crédito e não possam ser usados para fins comerciais, os usuários não têm de licenciar esses trabalhos derivados sob os mesmos termos.

Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.

Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (Veja O Efeito do Acesso Livre) emhttp://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html

Downloads

Não há dados estatísticos.