A PERCEPÇÃO DOS COLABORADORES DIANTE DA ESTRATÉGIA DE INCORPORAÇÃO NO SETOR BANCÁRIO: UM ESTUDO DE MULTICASOS
PDF

Palavras-chave

Incorporação
Mudanças organizacionais
Competitividade
Estratégia

Como Citar

Santos, A. L. de S., Abreu, P. H. C. de, & Terra, L. A. A. (2018). A PERCEPÇÃO DOS COLABORADORES DIANTE DA ESTRATÉGIA DE INCORPORAÇÃO NO SETOR BANCÁRIO: UM ESTUDO DE MULTICASOS. Revista Inteligência Competitiva, 8(4), 1–31. https://doi.org/10.24883/IberoamericanIC.v8i4.282

Resumo

O cenário econômico é marcado por constantes mudanças nas organizações, e um dos principais fatores motivadores desse processo é a concorrência acirrada entre as empresas. Na busca por maior espaço no mercado, as companhias têm investido na união de forças e valores para estar à frente de seus concorrentes. Esse processo de junção, denominado de incorporação, representa uma decisão estratégica que se tornou muito frequente no mercado de instituições financeiras. O presente artigo baseia-se em um estudo de multicasos de duas instituições financeiras brasileiras que passaram por mudanças organizacionais em razão da estratégia de incorporação. O objetivo da pesquisa consiste em identificar quais as estratégias adotadas para o processo de incorporação e as suas respectivas consequências para as organizações. A justificativa do estudo se dá pelo fato das incorporações, apesar de serem muito recorrentes no mercado atual, não representam um tema comum em pesquisas recentes, além do mais, o fato delas ocorrerem em instituições financeiras de qualquer porte, despertou a necessidade de explorar as estratégias usadas para amenizar os impactos gerados no processo. Os resultados obtidos, evidenciaram que o planejamento e a participação de toda a equipe, constituem fatores determinantes para o sucesso da incorporação, levando em consideração que a necessidade de adaptação e reestruração se mostram presentes. Além disso, as ações tomadas pelas empresas analisadas, proporcionaram aprendizado e maturidade para futuras incorporações.

https://doi.org/10.24883/IberoamericanIC.v8i4.282
PDF

Referências

ALEXANDRE, M.; LIMA, G. T.; CANUTO, O. Determinantes das decisões locacionais da atividade financeira. Nova Economia, v. 16, n. 2, p. 243-263, 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/neco/v16n2/02.pdf>. Acesso em: 15 ago. 2017.

ALMEIDA, A. P. Curso prático de processo do trabalho. 15. ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

ALONÇO, P. Monografia: as fusões/incorporações bancárias. Portal Estabilidade Financeira. 2010. Disponível em: <https://estabilidadefinanceira.wordpress.com/2010/01/31/as-fusoesincorporacoes-bancarias/>. Acesso em: 22 jul. 2017.

BARROS, B. T. Fusões e Aquisições no Brasil. São Paulo: Atlas, 2003.

BATEMAN, T. S.; SNELL, S. A. Administração: construindo vantagem competitiva. São Paulo: Atlas, 1998.

BERTO, R. M. V. S.; NAKANO, D. N. Métodos de pesquisa na Engenharia de Produção. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 18., 1998, Niterói. Anais... Niterói: ENEGEP, 1998. Disponível em: <http://www.abepro.org.br/biblioteca/enegep1998_art174.pdf>. Acesso em: 12 set. 2017.

BERTOLDI, M. M. Curso avançado de direito comercial: teoria geral do direito comercial, direito societário. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2001.

BULGARELLI, W. Fusões, incorporações e cisões de sociedades. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2000.

CHIAVENATO, I. Administração nos novos tempos. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

DAFT, R. L. Organizações: teorias e projetos. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2003.

_______. Administração. São Paulo: Thomson, 2005.

DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos. Os rostos dos bancários: mapa de gênero e raça no setor bancário brasileiro. São Paulo: Confederação Nacional dos Bancários, 2001.

DINIZ, M. H. Dicionário jurídico. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2005.

DRUCKER, P. F. Fator humano e desempenho: o melhor de Peter F. Drucker sobre Administração. São Paulo: Pioneira, 2002.

FAZZIO JÚNIOR, W. Manual do direito comercial. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2000.

GEISEL, E.; SIMONSEN, M. H. Lei 6.404, de 15 de dezembro de 1976. Portal Normas Legais. 2017. Disponível em: <http://www.normaslegais.com.br/legislacao/contabil/lei6404_1976.htm>. Acesso em: 16 ago. 2017.

GITMAN, L. J. Princípios de Administração Financeira. 10. ed. São Paulo: Pearson Addison Wesley, 2004.

GONZALEZ, R. B.; SAVOIA, J. R. F.; GOUVEA, M. A. Grupos estratégicos bancários: uma abordagem transversal multivariada para o problema da segmentação dos bancos no Brasil. Revista de Administração Mackenzie, v. 9, n. 7, p. 11-40. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ram/v9n7/a02v9n7.pdf>. Acesso em: 14 set. 2017.

GROUARD, B.; MESTON, F. Empresa em movimento: conheça os fundamentos e técnicas da gestão de mudança. São Paulo: Negócio, 2001.

KRETZER, J. Os efeitos das fusões e incorporações na estrutura do mercado bancário brasileiro: 1964-1984. 1996. 154 f. Dissertação de Mestrado. UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina. Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção, Florianópolis, 1996. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/158033> Acesso em: 17 ago. 2017.

MATTAR, F. N. Pesquisa de Marketing. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2005.

MINTZBERG, H.; AHLSTRAND B.; LAMPEL J. Safári de estratégia. Porto Alegre: Bookman, 2000.

NASSAR, P. História e cultura organizacional. Revista Comunicação Empresarial, Ano 10, n. 36, 2000. Disponível em: <http://www.aberje.siteprofissional.com/revista/antigas/rev_36_tudo.htm>. Acesso em: 14 set. 2017.

OLIVEIRA, O. V.; FORTE, S. H. A. C.; ARAGÃO, L. A. Fusões e aquisições sob a perspectiva da vantagem competitiva: o caso da Perdigão Agroindustrial S/A. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, v. 9, n. 24, p. 91-108, 2007.

OLIVEIRA, S. L. Metodologia científica: projetos de pesquisas, TGI, TCC, monografias, dissertações e teses. 2. ed. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 1999.

PORTER, M. E. Competição: estratégias competitivas essenciais. 10. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1999.

ROBBINS, S. P. Administração: mudanças e perspectivas. São Paulo: Saraiva, 2000.

ROCHA, H. M.; OLIVEIRA, U. R. Balanced Scorecard como fonte de vantagem competitiva para as organizações: uma revisão bibliográfica. In: SIMPÓSIO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 13., Bauru. Anais... Bauru: SIMPEP, 2006. Disponível em: <http://www.simpep.feb.unesp.br/anais/anais_13/artigos/24.pdf>. Acesso em: 25 ago. 2017.

ROSSETTI, J. P. Fusões e aquisições no Brasil: as razões e os impactos. In: BARROS, B. T. (Org.). Fusões, aquisições e parcerias. São Paulo: Atlas, 2001.

RUSSO, F.; OLIVEIRA, N. Manual prático de constituição de empresas: constituições, alterações e encerramentos. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2000.

TAVARES, M. C. Planejamento estratégico: a opção entre sucesso e fracasso empresarial. São Paulo: Harba, 1991.

YIN, R. Estudo de caso. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2001.

O(s) autor(es) autoriza(m) a publicação do texto na da revista;

O(s) autor(es) garantem que a contribuição é original e inédita e que não está em processo de avaliação em outra(s) revista(s);

A revista não se responsabiliza pelas opiniões, idéias e conceitos emitidos nos textos, por serem de inteira responsabilidade de seu(s) autor(es);

É reservado aos editores o direito de proceder a ajustes textuais e de adequação às normas da publicação.

Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.

Esta licença permite que outros remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho para fins não comerciais, e embora os novos trabalhos tenham de lhe atribuir o devido crédito e não possam ser usados para fins comerciais, os usuários não têm de licenciar esses trabalhos derivados sob os mesmos termos.

Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.

Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (Veja O Efeito do Acesso Livre) emhttp://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html

Downloads

Não há dados estatísticos.