A GERAÇÃO DE INOVAÇÃO ATRAVÉS DA INTELIGÊNCIA COMPETITIVA: UMA ANÁLISE DOS DADOS DISPONÍVEIS NA PINTEC
PDF

Palavras-chave

Inteligência Competitiva
Inovação

Como Citar

Tirso, C. (2018). A GERAÇÃO DE INOVAÇÃO ATRAVÉS DA INTELIGÊNCIA COMPETITIVA: UMA ANÁLISE DOS DADOS DISPONÍVEIS NA PINTEC. Revista Inteligência Competitiva, 8(3), 53–69. https://doi.org/10.24883/IberoamericanIC.v8i3.277

Resumo

O processo de inteligência competitiva e a inovação são ações empresariais consideradas no mercado altamente competitivo atual, essenciais para a sobrevivência de uma corporação. O objetivo da presente pesquisa foi localizar como o processo de IC está atrelado à inovação utilizando os dados disponíveis pela PINTEC. Inicialmente foram feitos levantamentos teóricos com o objetivo de introduzir alguns termos e conceitos considerados padrões em ambas as áreas, para em seguida ser feita uma análise dos valores apresentados na última publicação de pesquisa de inovação do IBGE. Os resultados corroboram que esta estratégia auxilia na inovação, onde a IC gera um insumo para a tomada de decisão, sendo que essa estratégia é tipicamente um processo interno, devido à alta importância dos dados obtidos, enquanto externamente o foco tende a ser em informações que não são diretamente do setor, como é o caso de indicadores e análises econômicas. Por fim, levanta-se a análise que um processo de inteligência competitiva bem estruturada dentro de um mercado competitivo se torna uma competência essencial dentro de uma corporação com a possibilidade de aumentar o market share da mesma, no longo prazo.
https://doi.org/10.24883/IberoamericanIC.v8i3.277
PDF

Referências

de Albuquerque Junior, Edmilson Pinto, Bruno Chaves Correia Lima, and José Carlos Lazaro. "Inovação, Estratégia e Competitividade nas Empresas Brasileiras: Uma Investigação Inicial sobre Atividades Inovativas e Impactos conforme o PINTEC 2008." RAUnP-ISSN 1984-4204 3.2 (2011): 25-38.

Canongia, Claudia, et al. "Foresight, inteligência competitiva e gestão do conhecimento: instrumentos para a gestão da inovação." Gestão & Produção (2004).

de Carvalho, Marly Monteiro. Inovação: estratégias e comunidades de conhecimento. Editora Atlas SA, 2000.

Davenport, Thomas H. Conhecimento empresarial. Elsevier Brasil, 1998.

Dutka, Alan. Competitive intelligence for the competitive edge. Ntc Publishing Group, 1999.

Fleisher, Craig S., and David L. Blenkhorn, eds. Managing frontiers in competitive intelligence. Greenwood Publishing Group, 2001.

Freeman, Chris, and Luc Soete. A economia da inovação industrial. Editora da UNICAMP, 2008.

Ganzer, Paula Patricia, et al. "INOVAÇÃO E INTELIGÊNCIA COMPETITIVA NA INDÚSTRIA: UMA ABORDAGEM TEÓRICA." Revista Inteligência Competitiva 7.2 (2017): 46-81.

Garcia, Rosanna, and Roger Calantone. "A critical look at technological innovation typology and innovativeness terminology: a literature review." Journal of product innovation management 19.2 (2002): 110-132.

KAHANER, Larry. "The basics of competitive intelligence." Competitive Intelligence: how to gather analyze and use information to move your business to the top. New York: Simon & Schuster (1996).

Lemos, Cristina. "Inovação na era do conhecimento." Parcerias estratégicas 5.8 (2009): 157-180.

MAFR, Pereira, F. C. Uso de fontes de informação: um estudo em micro e pequenas empresas de consultoria de Belo Horizonte. 2006. 154f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação). Escola de Ciências da Informação, UFMG, Belo Horizonte, 2006.

Pereira, Frederico Cesar Mafra, and Ricardo Rodrigues Barbosa. "Uso de fontes de informação por consultores empresariais: um estudo junto ao mercado de consultoria de Belo Horizonte." Perspectivas em ciência da informação 13.1 (2008): 95-111.

PINTEC, Pesquisa de Inovação, 2014.

Pio, Marcelo José, Ariel Vicentini de S. Martins, and Adelaide Antunes. "Sugestão de um modelo de inteligência competitiva para centros de tecnología têxtil: o caso do SENAI/CETIQT." Espacios [en línea] 25.1 (2004).

Porter, Michael E. Estratégia competitiva: técnicas para análise de indústrias e da concorrência. Campus, 1986.

Prescott, John E., and Stephen H. Miller. "Inteligência competitiva na prática: técnicas e práticas bem sucedidas para conquistar mercados." Rio de Janeiro: Campus (2002).

Schumpeter, Joseph A. Teoria do desenvolvimento econômico. Fundo de Cultura, 1961.

Teixeira, Thiciane Mary Carvalho, and Marta Lígia Pomim Valentim. "Inteligência Competitiva Organizacional: Um Estudo Teórico." Perspectivas em Gestão & Conhecimento 6.1 (2016): 3-15.

Teixeira Filho, J. "O contexto empresarial do analista de informação." Revista eletrônica Insight informal (2000).

Toledo, Luciano Augusto, and Luiz Alberto Toledo. "Sistema de Inteligência Competitiva: um Estudo de Caso no Setor de Telecomunicação." Revista da FAE 10.1 (2016).

Valentim, Marta Lígia Pomim. "Inteligência competitiva em organizações: dado, informação e conhecimento." DataGramaZero, Rio de Janeiro 3.4 (2002): 1-13.

O(s) autor(es) autoriza(m) a publicação do texto na da revista;

O(s) autor(es) garantem que a contribuição é original e inédita e que não está em processo de avaliação em outra(s) revista(s);

A revista não se responsabiliza pelas opiniões, idéias e conceitos emitidos nos textos, por serem de inteira responsabilidade de seu(s) autor(es);

É reservado aos editores o direito de proceder a ajustes textuais e de adequação às normas da publicação.

Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.

Esta licença permite que outros remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho para fins não comerciais, e embora os novos trabalhos tenham de lhe atribuir o devido crédito e não possam ser usados para fins comerciais, os usuários não têm de licenciar esses trabalhos derivados sob os mesmos termos.

Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.

Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (Veja O Efeito do Acesso Livre) emhttp://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html

Downloads

Não há dados estatísticos.