Inteligência competitiva no brasil: um panorama do status e função organizacional
ARETIGO - PDF

Palavras-chave

Inteligência Competitiva
Estratégia
Negócio
Competitive Intelligence
Strategy
Business

Como Citar

Rodrigues, L. C., Riscarolli, V., & Almeida, M. I. R. de. (2011). Inteligência competitiva no brasil: um panorama do status e função organizacional. Revista Inteligência Competitiva, 1(1), 63–85. https://doi.org/10.24883/IberoamericanIC.v1i1.4

Resumo

A disponibilização de informações ambientais, dos cenários e entorno competitivo, é crítica para uma organização estabelecer um posicionamento efetivamente competitivo em seu entorno de operação. Ganhos em posicionamento, ajustes estruturais e alinhamento de processos são funções do uso adequado de informações certas e úteis. Assim, inteligência competitiva (IC) assume gradativamente um papel de importância estratégica para o remodelamento dos negócios e garantia da elasticidade corporativa. Busca-se aqui estabelecer um perfil da IC nas grandes corporações que atuam no Brasil. Para tanto, pesquisou-se exploratoriamente, numa amostra aleatória de 55 grandes empresas entre as 500 maiores do Guia das Maiores e Melhores - Exame 2004, por meio de um questionário estruturado fechado e um roteiro de entrevistas semi-estruturado. A pesquisa olhou o lócus funcional, objetivos, motivos, fontes, processos, usos, papel da TI e disciplinamento ético da IC nas organizações pesquisadas. Os principais resultados indicam grande incipiência na arquitetura, usos e função da IC nos negócios nas empresas pesquisadas. Apenas 11% delas possuem sistema de IC formalizado e estruturado. Poucas empresas usam a IC para suportar estratégias corporativas que possam garantir a sustentação da competitividade (benchmarking, recursos e capacidades especiais, análise SWOT). As principais conclusões indicam haver um pequeno número de empresas alinhadas com o conceito e funções da IC. Apesar de não haver um modelo predominante de IC no Brasil, o panorama mostra um princípio de modelagem do alinhamento interno das competências centrais e a IC como alimentadora, em grande parte, apenas de alternativas de diferenciação.

https://doi.org/10.24883/IberoamericanIC.v1i1.4
ARETIGO - PDF

O(s) autor(es) autoriza(m) a publicação do texto na da revista;

O(s) autor(es) garantem que a contribuição é original e inédita e que não está em processo de avaliação em outra(s) revista(s);

A revista não se responsabiliza pelas opiniões, idéias e conceitos emitidos nos textos, por serem de inteira responsabilidade de seu(s) autor(es);

É reservado aos editores o direito de proceder a ajustes textuais e de adequação às normas da publicação.

Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.

Esta licença permite que outros remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho para fins não comerciais, e embora os novos trabalhos tenham de lhe atribuir o devido crédito e não possam ser usados para fins comerciais, os usuários não têm de licenciar esses trabalhos derivados sob os mesmos termos.

Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.

Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (Veja O Efeito do Acesso Livre) emhttp://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html

Downloads

Não há dados estatísticos.