AVALIAÇÃO DO POTENCIAL ESTRATÉGICO DO SOFTWARE DE ASSESSORIA EDUCACIONAL EM FUNÇÃO DOS CRITÉRIOS DA VISÃO BASEADA EM RECURSOS
PDF

Palavras-chave

Vantagem Competitiva
Recursos
Estratégia.

Como Citar

Melo, C. de S. M., Bezerra, M. H. de M., Medeiros Júnior, J. V. de, & Elali, D. de A. (2015). AVALIAÇÃO DO POTENCIAL ESTRATÉGICO DO SOFTWARE DE ASSESSORIA EDUCACIONAL EM FUNÇÃO DOS CRITÉRIOS DA VISÃO BASEADA EM RECURSOS. Revista Inteligência Competitiva, 5(1), 38–54. https://doi.org/10.24883/IberoamericanIC.v5i1.111

Resumo

As metodologias de análise de recursos originárias da Visão Baseada em Recursos, como o modelo proposto por Mills (2002) e o VRIO proposto por Barney e Hesterly (2007), são correntes de pensamento renomadas na área de estratégia empresarial, porém são atividades de difícil aplicação prática nas organizações. A partir disso, este artigo tem como objetivo analisar a vantagem competitiva gerada por um software interno de gestão organizacional para uma empresa que realiza assessoria educacional por todo o nordeste do Brasil e tem sua sede em Natal no Rio Grande do Norte. Para realizar tal atividade a coleta dos dados foi feita através de um questionário com perguntas abertas dirigidas aos sócios diretores da empresa, seguido de uma entrevista para maiores esclarecimentos de dúvidas. Trata-se de uma pesquisa exploratória descritiva, com abordagem qualitativa, através do método estudo de caso. Os resultados demonstraram que o software gera vantagem competitiva a empresa, porém essa não é sustentável devido a sua fácil imitabilidade.

https://doi.org/10.24883/IberoamericanIC.v5i1.111
PDF

Referências

AMIT, R.; SCHOEMAKER, P.J.H. Strategic assets and organizational rents. Strategic Management Journal, v. 4, p. 33-47, 1993.

ANDREASI, Mariana Sasso; GAMBARATO, Vivan Toledo dos Santos. Uso da tecnologia da informação como vantagem competitiva nas organizações. Tékhne & Logos, Botucatu, SP, v.1, n.2, p.1-12, fev. 2010.

ANSOFF, H. I. Corporate strategy: an analytic approach to business policy for growth and expansion. New York: McGraw-Hill, 1965.

BARNEY, J. B. Strategic factor markets. Management Science, v. 32, n.10, p. 1.231-1.241, 1986.

______. Firm resources and sustained competitive advantage. Journal of Management, v. 17, n.1, p. 99-120, 1991.

BARNEY, J. B.; HESTERLY, W. S. Administração estratégica e vantagem competitiva. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

CRUZ T. Sistemas de Informações Gerenciais: Tecnologias da Informação e a Empresa do Sec. XXI. 3.ed. São Paulo, Atlas: 2010.

DRUCKER, Peter. Managing in turbulent times. New York: Harper e Row, 1980.

HIDALGO, Nelson Cassius Conte, SCUR, Gabriela. TI como Ferramenta estratégica: uma análise através da visão baseada em recursos. 2009. Disponível em < http://www.simpoi.fgvsp.br/arquivo/2009/artigos/E2009_T00287_PCN88070.pdf> Acesso em: 17 de Maio 2012.

HOSKISSON, R. E.; EDEN, L.; LAU, C.M.; WRIGHT, M. Strategy in emerging economies. Academy of Management Journal, v.43, n.3, p. 249-267, 2000.

KRETZER, J.; MENEZES, E. A. A importância da visão baseada em recursos na explicação da vantagem competitiva. Revista de Economia Mackenzie, v.4, n.4, p.63-87, 2006.

LUPPI I. Tipos de Sistemas de Informação na Empresa. 2008. Disponível em: <http://www.oficinadanet.com.br/artigo/738/tipos_de_sistemas_de_informacao_na_empresa>. Acesso em: 22 Maio 2012.

MCFARLAN, F. Warren. A tecnologia da informação muda a sua maneira da competir. In: Estratégia - A Busca Da Vantagem Competitiva. Harvard Business Review Book. 6. ed. São Paulo: Campus, 1998.

MEDCOF, J. W. Resource-based strategy and managerial power in networks of internationally dispersed technology units. Strategic Management Journal, v.22, n.11, p. 999-1012, 2001.

MELO, Daniel Reis Arnold. A importância da tecnologia da informação nas estratégias das organizações contemporâneas: Breve revisão de literatura. Disponível em <http://www.convibra.com.br/2008/artigos/412_0.pdf>. Acesso em: 24 de Maio 2012.

MILLS, John, PLATTS, Ken, BOURNE, Michael. Applying Resource Based Theory: Methods, outcomes and utility for managers. International Journal of Operations & Production Management, v. 23, n. 2, 2002.

MILLS, J. et al. Strategy and Performance: Competing through competences. Cambridge,UK: Cambridge University Press, 2002. Disponível em <http://assets.cambridge.org/97805217/50301/sample/9780521750301ws.pdf>. Acesso em: 18 de Maio 2012.

MINAYO, M. C. de S.; SANCHES, O. Quantitativo-Qualitativo: Oposição e Complementariedade?. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, jul./set., 1993.

NAVARRO I. O que é TI? Parte 1. Conceitos. Disponível em <http://ilo.ciadolinux.com.br/2007/03/06/o-que-e-ti-parte-1-conceitos.> Acesso em: 22 de Maio 2012.

PETERAF, M. A. The cornerstones of competitive advantage: a resource-based view. Strategic Management Journal, v.14, n.3, p. 179-191, 1993.

PORTER, Michael E. Vantagem Competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. Rio de janeiro: Elsevier, 1998.

RIVARD, Suzzane, RAYMOND, Louis, VERRAULT, David. Resource-based view and competitive strategy: An integrated model of the contribution of information technology to firm performance. The Journal of Strategic Information Systems, v.15, n. 1, p. 29-50, 2006.

RODRIGUES, W. C. Metodologia Científica. Paracambi: FAETEC/IST, 2007.

SANTOS, C. L.; GORH, F. C.; CRUZ, H. K. I. Avaliação de recursos estratégicos em empresas hoteleiras de um município sul-mato-grossense. REBRAE, Curitiba, v.4, n. 3, p.231-243, set./dez. 2011.

SOUTH, Stephen E. Competitive advantage: the cornerstone of strategic thinking. Jornal of Business Strategy, v.1, n,4, p.15-25, 1981.

VASCONCELOS, Flávio C.; CYRINO, Álvaro B. Vantagem competitiva: os modelos teóricos atuais e a convergência entre estratégia e teoria organizacional. Revista de Administração de Empresas, v.40, n.4, p.20-37, Out./Dez. 2000.

VASCONCELOS, F. C.; BRITO, L. A. L. Vantagem competitiva: o construto e métrica. Revista de Administração de Empresas, vol 44, nº 2. Abril/Jun. 2004.

WERNERFELT, B. A resource-based view of the firm. Strategic Management Journal, v.5, n.2, p. 171-180, 1984.

YIN, Robert, K. Case Study Research: Design and Methods. 4th ed. Applied social research methods v. 5. 2009. Disponível em: <http://books.google.com.br/books?id=FzawIAdilHkC&printsec=frontcover&dq=yin+2010&hl=pt-BR&sa=X&ei=Af8VUvmKEITo8gTGn4GYCg&ved=0CDcQ6AEwAQ#v=onepage&q&f=false>.

O(s) autor(es) autoriza(m) a publicação do texto na da revista;

O(s) autor(es) garantem que a contribuição é original e inédita e que não está em processo de avaliação em outra(s) revista(s);

A revista não se responsabiliza pelas opiniões, idéias e conceitos emitidos nos textos, por serem de inteira responsabilidade de seu(s) autor(es);

É reservado aos editores o direito de proceder a ajustes textuais e de adequação às normas da publicação.

Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.

Esta licença permite que outros remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho para fins não comerciais, e embora os novos trabalhos tenham de lhe atribuir o devido crédito e não possam ser usados para fins comerciais, os usuários não têm de licenciar esses trabalhos derivados sob os mesmos termos.

Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.

Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (Veja O Efeito do Acesso Livre) emhttp://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html

Downloads

Não há dados estatísticos.