QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: UMA ANÁLISE EMPÍRICA SOB O MODELO DE WALTON
PDF

Palavras-chave

Satisfação. Qualidade de Vida no Trabalho. Motivação. Produtividade

Como Citar

Silva, T. G., Tannhauser, C. L., Biegelmeyer, U. H., Pozzo, D. N., Gilioli, R. M., Camargo, M. E., & Zanandrea, G. (2016). QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO: UMA ANÁLISE EMPÍRICA SOB O MODELO DE WALTON. Revista Inteligência Competitiva, 6(4), 20–54. https://doi.org/10.24883/IberoamericanIC.v6i4.184

Resumo

A necessidade da qualidade de vida nas organizações está cada vez mais evidente, pois os trabalhadores têm o direito de conviver em um ambiente que lhes proporcione melhores condições de saúde, física e psíquica. Uma melhora no bem-estar do trabalhador faz com que este tenha motivação para trabalhar da melhor forma possível. Neste contexto, o presente artigo teve como intuito analisar a partir do modelo de Walton a percepção dos colaboradores de um empresa do setor de climatização de ambientes em relação à Qualidade de Vida no Trabalho (QVT). Para concluir tais objetivos, partiu-se do referencial teórico para aprofundamento do tema proposto, seguido de uma análise das ações oferecidas pela empresa. O método utilizado foi a pesquisa de abordagem quantitativa, com classificação descritiva e técnicas de pesquisa bibliográfica e estudo de campo. Foi aplicado um questionário com perguntas fechadas aos funcionários para mensurar sua satisfação em relação ao assunto. Os resultados da pesquisa mostraram que de um modo geral, os colaboradores estão satisfeitos com a QVT desenvolvida pela empresa, embora tenham alguns fatores que exijam esforços de ações por parte da gestão, como melhorias no sistema de remuneração e benefícios, retorno dado aos colaboradores em relação a seu desenvolvimento e divulgação de oportunidades para auxiliar na capacitação profissional.

https://doi.org/10.24883/IberoamericanIC.v6i4.184
PDF

Referências

CARVALHO, Jéssica Faria et al. Qualidade de Vida no Trabalho e Fatores Motivacionais dos Colaboradores nas Organizações. UNISEPE, São Paulo, n 7, p. 21-31, set. 2013.

FERNANDES, Ida Conte. Qualidade de Vida no Trabalho: como medir para melhorar. Salvador: Casa da Qualidade, 1996. 115 p

FRANÇA, Ana Cristina Limongi. Qualidade de Vida no Trabalho: Conceitos e práticas nas empresas da sociedade pós-industrial. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2012. 217 p.

FREITAS, André Luis Policie; SOUZA, Renata Guarindo Bastos de. Um modelo para avaliação da Qualidade de Vida no Trabalho em universidades públicas. Sistemas & Gestão, Rio de Janeiro, v.4, n.2, p. 136-154, 2009.

GERHARDT, Tatiana Engle; SILVEIRA, Denise Tolfo; Organizadores. Métodos de Pesquisa. Porto Alegre: Editora UFRGS, 2009, 120 p.

KOVALESKI, Aurélio et al. Avaliação da qualidade de vida no trabalho no setor de construção civil: utilização do modelo de walton. Nucleus, v. 5, n. 2, p. 1-14, 2008.

MORETTI, Silvinha; TREICHEL, Adriana. Qualidade de vida no trabalho x auto-realização humana. Revista Leonardo pós-Órgão de Divulgação Científica e Cultural do ICPG, Blumenau, v. 1, n. 3, p. 73-80, 2003.

O(s) autor(es) autoriza(m) a publicação do texto na da revista;

O(s) autor(es) garantem que a contribuição é original e inédita e que não está em processo de avaliação em outra(s) revista(s);

A revista não se responsabiliza pelas opiniões, idéias e conceitos emitidos nos textos, por serem de inteira responsabilidade de seu(s) autor(es);

É reservado aos editores o direito de proceder a ajustes textuais e de adequação às normas da publicação.

Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.

Esta licença permite que outros remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho para fins não comerciais, e embora os novos trabalhos tenham de lhe atribuir o devido crédito e não possam ser usados para fins comerciais, os usuários não têm de licenciar esses trabalhos derivados sob os mesmos termos.

Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.

Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (Veja O Efeito do Acesso Livre) emhttp://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html

Downloads

Não há dados estatísticos.